BATBASE

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FILMES

A trama

     Uma onda intensa de frio paira sobre a cidade de Gotham. A mais nova ameaça criminosa atende pelo nome de Mr. Freeze - um vilão disposto a transformar a metrópole em seu domínio gelado. O batsinal é acionado , iluminando a noite escura. Batman e Robin partem a toda velocidade para atender ao chamado da justiça! Longe dali, na América do Sul, uma dedicada cientista botânica sofre um inesperado acidente químico. Envolta pelas plantas exóticas que estudava, surge Hera Venenosa, uma mulher sedutora com beijos mortais e um desejo incontrolável de vingança. Para deter esta nova dupla de criminosos, Batman e Robin precisarão de toda ajuda possível e a jovem Barbara Wilson pode ser uma nova aliada na mais explosiva batalha entre as forças do bem e do mal.

 

Diretor

 


Joel Schumacher

 

Música

 


Elliott Goldenthal

 

Elenco


George Clooney
Bruce Wayne/Batman

 


Chris O'Donnell
Dick Grayson/Robin

 


Arnold Schwarzenegger
Dr. Victor Fries/Mr. Freeze

 


Uma Thurman
Dra. Pamela Isley/Hera Venenosa

 


Alicia Silverstone
Barbara Wilson/Batgirl

 


Pat Hingle
Comissário Gordon

 


Michael Gough
Alfred Pennyworth

 


Jeep Swenson
Bane

 


Elle Macpherson
Judie Madison

 


Vivica A. Fox
Sra. B. Haven

 


Vendela Kirsebom
Nora Fries

 


John Glover
Dr. Jason Woodrue

 

 

O Climax...

     Terminada a temporada de exibição de “Batman Eternamente”, e apesar das críticas e descontentamentos de alguns fãs mais fervorosos, a película de 95 alcançou altas cifras na bilheteria, desbancando todos os seus concorrentes e tornando-se um ótimo negócio para a Warner Bros.
     Realmente, o filme havia sido uma grande “atração familiar”, sem deixar vários dos aspectos góticos, graças ao, antes diretor, agora produtor, Tim Burton. Para tanto, o estúdio, satisfeito com o resultado, encomendou, novamente a Joel Schumacher, uma nova aventura para o Homem-Morcego, ressaltando mais uma vez a importância do personagem e a necessidade de conservar um tom “suave” para as idéias, em virtude de manter cativas todas as idades, especialmente as crianças (fato disto foram os problemas de “Batman – O Retorno”, visto que culminou em uma alta censura e afastou o público de menor idade).
     Dessa forma, Schumacher reteve idéias exóticas ou sombrias, enquanto Tim Burton afastou-se do projeto, e chamou novamente Akiva Goldsman(“Uma Mente Brilhante”) para escrever o roteiro. Mantendo o conceito anterior da variedade de vilões e na busca de figuras interessantes para serem abordadas, consideraram o Senhor Frio, Hera Venenosa e Bane para servirem de antagonistas para Batman. Contudo, ao analisar as origens de cada um deles, deparou-se com uma complexa questão: as cruéis, aterrorizantes, e infelizes características que formaram cada um dos vilões como tais, aliás, menção essa comum em toda a criação do Cavaleiro das Trevas, quer seja dele próprio ou seus opositores. E esta questão vinha de acordo às exigências da Warner quanto ao centro do filme e sua exposição ao público. Assim, a única alternativa, se não denegrir a história de cada um deles (os vilões), era abordá-los de uma forma mais criativa e imaginativa.
     Outro grande problema apareceu logo de imediato, mesmo após a definição dessa controvérsia, foram as exigências de Val Kilmer, o protagonista até então, para assumir pela segunda vez o manto negro. Nenhum acordo conseguiu impedir a sua saída como pivô da franquia, e um novo nome necessitaria ser escalado. Por sinal, desta vez, poucos personagens retornariam ou já teriam aparecido na série, o que exigia novas escolhas.
     Então, marcado o projeto como oficial, seguiram os rumores das contratações. Muitos atores foram cogitados para o papel principal, até que o escolhido foi George Clooney, destaque de “Plantão Médico” e mais recentemente em sucessos como “Onze Homens e Um Segredo” e “Boa Noite e Boa Sorte”. Chris O’Donnel confirmou seu retorno como Robin, enquanto beldades como Demi Moore e Julia Roberts disputavam os papéis de Hera Venenosa e Batgirl. Para interpretar o maléfico Sr. Frio, saíram nomes como Jeremy Irons, Patrick Stewart e até Silvester Stallone, até o austríaco Arnold Schwarzenegger (“O Exterminador do Futuro”), ex- Miss - Universo,  assumir o cargo. Para encarnar Bane, um dos mais fortes nos quadrinhos, chamaram Jeep Swenson, ex-lutador profissional, que infelizmente, viria a falecer alguns meses depois do lançamento. Michael Gouch (Alfred) e Pat Hingle (Comissário Gordon), foram os únicos elos iniciais da franquia a retornarem.
     Após tanta badalação em torno das figuras femininas, Uma Thurmam (“Kill Bill” e “Gattaca”) foi escalada para viver Hera-Venenosa, a perigosa e sedutora vilã, enquanto, para completar o time de celebridades, optaram por Alicia Silverstone (“As Patricinhas de Beverly Hills”) para tomar a frente de Batgirl. O cientista que transforma Pamela Isley em Hera-Venenosa seria interpretado por John Glover (O Lionel Luthor de “Smallville”) e, também voltando do outro filme, a esposa de Bob Kane, Elizabeth Sanders, no papel de Gerty Fofoca. Isso sem contar a presença da modelo Elle Macpherson encenando a namorada de Bruce Wayne, Julie Madison.
     Definido o elenco, o roteiro apontava para a seguinte história: um revoltado Robin entra em conflito com Batman, sendo os problemas reforçados por Hera-Venenosa e pondo em perigo a dupla-dinâmica nas mãos do Sr. Frio e Bane. Os dois criados em terríveis experiências científicas. Mais tarde, Batman seria capturado e sobraria para Robin, com o auxílio da Batgirl (aqui posta como sobrinha de Alfred, numa tentativa de alimentar maiores relações entre os persongens). Sr. Frio se uniria a Hera para destruir a cidade, e “recomeçar” a vida natural com plantas mutantes, e para prejudicar Bruce, Hera capturaria Julie e a mataria, criando uma certa “sede de vingança” do Homem-Morcego em detê-la.

     Contudo, a história pareceu assombrosa e cruel demais para os executivos da Warner, obrigando Schumacher e Goldsman a retocar o roteiro, apelando inclusive por influências da série humorística de 66, com Adam West.
     As filmagens iniciaram-se no verão de 96, num árduo trabalho de construir a nova seqüência para a telona. O novo argumento previa diálogos mais amenos, grandes tomadas de ação e uma boa discussão acerca do mundo familiar em que se encontram Bruce – Dick – Alfred – Barbara.
     A desenhista de produção Barbara Ling, presente também em “Batman Eternamente” volta com a mesma difícil tarefa de definir os cenários da superprodução. E graças a um generoso orçamento, ela pode criar majestosos e imensos sets, como o museu, a nova Batcaverna, o jardim botânico, o observatório, o esconderijo de Hera, a Mansão Wayne, todos devidamente paramentados com sutis recursos que possibilitariam alguns truques de cena. Seguindo o tom da trama, ela investiu em cores e traços mais modernos, na tentativa de suavizar o impacto para as crianças.
     O visual de Gotham tomou outras proporções, numa combinação de maquetes, gráficos computadorizados e uma pequena cidade cenográfica, resultando numa cidade mais alta, assustadora, cheia de estátuas e retratando exatamente a idéia que os quadrinhos sempre quiseram passar. Os veículos,
numa lógica continuidade de fatos, já que o Charada destruiu tudo no filme anterior, foram remodelados, gerando um Batmóvel conversível, mais esportivo, e decorado com néons e iluminação, além de um motor Chevy 380 que possibilitou mais de 220 km/h no teste feito no deserto. Robin ganhou o Redbird, construído com fibras de vidro e carbono. A Bat-blade, também sobre uma base Honda, foi feita para Batgirl, isso sem mencionar o Freezemobile, furgão do Sr. Frio, e o Bat-Hammer e o Batsled para uso nas cenas finais.
     Bob Ringwood, figurinista dos outros três filmes, saiu e deu lugar a Ingrid Ferrin e Robert Turturrice, os quais redesenharam totalmente os uniformes, retirando os amarelos e utilizando um novo tipo de borracha, mais leve e elástica, o que facilitou muito mais cenas de ação e movimentação de Batman/Robin/Batgirl. Uma armadura de 40 quilos foi desenvolvida para o Sr. Frio, escondendo equipamentos para os efeitos especiais, um sufoco para Arnold. E para Hera, várias roupas em tons verde e magenta que realçaram o corpo de Uma Thurmam. Bane seguiu o traço dos quadrinhos.
     John Dyskstra, supervisor de efeitos visuais, de “Batman Eternamente” e “Homem-Aranha”, seguiu o curso do outro filme, acrescentando centenas de tomadas criadas em computador, como o congelamento dos objetos e pessoas, pelas armas do Sr. Frio, além dos moldes em 3D de Gotham City, a seqüência aérea após a detonação do foguete, o descongelamento da cidade no final. Um verdadeiro show, aliado aos muitos efeitos especiais de explosões, iluminação a laser, espias de aço, e sofisticado sistema de controle do telescópio, construído em tamanho real.

Para a trilha sonora, convidaram Elliott Goldenthal (“Frida” e “Batman Eternamente”) para reprisar seu trabalho. Ele manteve o tema principal e a maioria dos acordes inalterados, salvo uma ou outra modificação, adicionando alguns sintetizadores. O destaque fica para as trilhas do Sr. Frio, com o maravilhoso coral e tambor ressonante, e da Hera Venenosa, com estilo-selva e saxofone para as cenas de sedução. Também criou uma interessante percussão para as cenas de ação, mantendo os tempos de “Batman Eternamente”.
     Algumas músicas foram agregadas ao filme, como “The End is the Beginning in the End”, do Smashing Pumpkins, que teve seu videoclipe dirigido por Schumacher, e também “Gotham City”, do R. Kelly; elas tocam em conjunto nos créditos finais. Ouve-se também “Lazy Eye” do Goo Goo Dolls, “Fun for Me” do Moloko, e a batida techno do Moaner “Underworld” para a cena da corrida de motos. Há também presença de R.E.M. e Jewel, entre outros, na trilha lançada em CD.
     “Batman & Robin” foi lançado em junho de 1997, após intensa campanha de marketing. O filme, infelizmente, foi bombardeado de críticas negativas e comentários maldosos, alguns, fruto de má interpretação da obra em si, ignorando a situação e época da produção, e os aspectos abordados à obrigatoriedade. A conseqüência foi o encerramento da franquia, para decepção de muitos fãs e apreciadores em geral, selando a franquia Burton/Schumacher, e a carreira de Batman nos cinemas, ao menos por um tempo...

 

por Cândido Detoni Gazzoni

 

Concorda? Discorda? Comentários...   candido@batbase.com.br

Comunidade: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=9004660

 

Imagens do filme

 

 

Batmóvel

 

Bathammer

 

Batsled

 

Batblade

 

Redbird

 

 

O design do Batmóvel

 

 

Alguns posters do filme

 

Alguns produtos baseados no filme